Os 10 principais aprendizados

Atualizamos o site com os dados de 2021 sobre royalties. Estas foram nossas principais descobertas. 

Em 2021, o Spotify pagou mais aos artistas do que qualquer outro serviço e, por isso, atingimos o recorde de maior pagamento anual da história já feito por uma empresa de varejo

Em 2021, o Spotify pagou mais aos artistas do que qualquer outro serviço e, por isso, atingimos o recorde de maior pagamento anual da história já feito por uma empresa de varejo

Em 2021, os detentores de direitos autorais receberam muito mais dinheiro da nossa plataforma: foram mais de US$ 7 bilhões, em comparação com os mais de US$ 5 bilhões em 2020. Isso representa mais do que o dobro do valor em 2017 (US$ 3,3 bilhões) e uma grande parte dos US$ 30 bilhões que já pagamos aos detentores de direitos desde nossa fundação. Até mesmo com o ajuste de acordo com a inflação, esse total de US$ 7 bilhões é o maior valor da história já pago por uma empresa de varejo à indústria musical em apenas um ano. E isso inclui qualquer loja no auge da era do CD e do download digital.

01 / 10

Em 2021, só a receita com streamings foi maior do que os lucros totais do setor em cada ano entre 2009 e 2016

2014 2021 Receita global com músicas gravadas 2014 2021 Weltweiter Umsatz aus Musikaufnahmen 2014 2021 Ingresos mundiales registrados 2014 2021 Revenus mondiaux de la musique enregistrée 2014 2021 Receita global com músicas gravadas

Em 2021, só a receita com streamings foi maior do que os lucros totais do setor em cada ano entre 2009 e 2016

2014 2021 Receita global com músicas gravadas 2014 2021 Weltweiter Umsatz aus Musikaufnahmen 2014 2021 Ingresos mundiales registrados 2014 2021 Revenus mondiaux de la musique enregistrée 2014 2021 Receita global com músicas gravadas

Em 2021, só a receita com streaming (em todos os serviços) foi maior do que os lucros do setor inteiro com todos os formatos de música gravada considerando cada ano entre 2009 e 2016. Quando o mundo da música atingiu sua menor receita em 2014, foram gerados US$ 14,2 bilhões somando todas as áreas do setor (streaming, vendas físicas, licenças de sincronização, downloads e direitos autorais de execução pública). Em 2021, só a receita com streaming ultrapassou os US$ 16,9 bilhões — com o Spotify liderando o caminho.

02 / 10

Pela primeira vez, mais de mil artistas geraram mais de US$ 1 milhão no Spotify

Pela primeira vez, mais de mil artistas geraram mais de US$ 1 milhão no Spotify

Tivemos uma nova conquista este ano: mais de mil artistas geraram US$ 1 milhão só no Spotify. Mas quando os artistas alcançam novos patamares, nós também precisamos ir um pouco além. Como tantos artistas ultrapassaram a marca de US$ 1 milhão, incluímos no site os dados de 2021 sobre as receitas de US$ 2 milhões e US$ 5 milhões. Em 2021, 450 artistas geraram mais de US$ 2 milhões no Spotify (um aumento de 110% em 5 anos) e 130 geraram mais de US$ 5 milhões (aumento de 160% no mesmo período).

03 / 10

Mais de 50 mil artistas geraram US$ 10 mil só no Spotify e, provavelmente, mais de US$ 40 mil em todas as fontes de receita

Número deartistas 0 52,600 42,500 34,800 29,300 23,400 2021 2017 2018 2019 2020 Anzahl der Künstler*innen 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Nombre d’artistes 0 52 600 42 500 34 800 29 300 23 400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020

Mais de 50 mil artistas geraram US$ 10 mil só no Spotify e, provavelmente, mais de US$ 40 mil em todas as fontes de receita

Número deartistas 0 52,600 42,500 34,800 29,300 23,400 2021 2017 2018 2019 2020 Anzahl der Künstler*innen 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Nombre d’artistes 0 52 600 42 500 34 800 29 300 23 400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020

Mais artistas estão alcançando diferentes níveis de receita, de US$ 1 mil a US$ 5 milhões. E esses números estão crescendo rapidamente. A quantidade de artistas que atingiram cada um desses marcos dobrou desde 2017. E quando consideramos os ganhos com outros serviços e fluxos de receita, é muito provável que esses artistas estejam gerando o quádruplo desses valores na indústria fonográfica geral. Pela primeira vez este ano, um grupo diversificado de mais de 50 mil artistas de diferentes países, gêneros musicais e fases de carreira geraram US$ 10 mil no Spotify e, provavelmente, mais de US$ 40 mil em todas as fontes de receita.

04 / 10

As principais gravadoras geraram mais de US$ 4 bilhões de lucro impulsionado pelo streaming em 2021

Record Labels Gravadoras

As principais gravadoras geraram mais de US$ 4 bilhões de lucro impulsionado pelo streaming em 2021

Record Labels Gravadoras

No ano passado, quase todos os nossos parceiros musicais registraram lucro e crescimento recordes de seus artistas. Juntas, as três principais gravadoras do mercado geraram mais de US$ 25 bilhões de receita no último ano, sendo US$ 12,5 bilhões apenas com o streaming. Os pagamentos do Spotify representam cerca de um terço desse total do streaming. Os lucros das grandes gravadoras em 2021 ultrapassaram US$ 4 bilhões, ou seja, elas têm mais dinheiro para reinvestir e fazer a indústria crescer.

05 / 10

Pelo segundo ano consecutivo, o Spotify pagou mais de 1 bilhão de dólares a detentores de direitos editoriais

Pelo segundo ano consecutivo, o Spotify pagou mais de 1 bilhão de dólares a detentores de direitos editoriais

Pelos detentores de direitos editoriais, os compositores e produtores estão gerando receitas em nível recorde, impulsionadas pelos serviços de streaming. Os detentores de direitos editoriais garantiram US$ 3,5 bilhões com o streaming em geral em 2020. Esse valor é muito maior do que a receita gerada com CDs e downloads em qualquer ano do século 21 até agora, mesmo durante o auge das vendas de CD.

06 / 10

No auge da era do CD, o setor favorecia os 50 maiores artistas duas vezes mais do que nos dias de hoje

Era do CD Hoje Top 50 Todos os outrosartistas % de vendas CD-Ära Heute Top 50 Alle anderen % der Verkäufe Era del CD Hoy Los 50 más escuchados Todas las categorías % de ventas Ère du CD Aujourd’hui Artistes du top 50 Tous les autres Pourcentage des ventes Era do CD Hoje Top 50 Todos os outros % de vendas

No auge da era do CD, o setor favorecia os 50 maiores artistas duas vezes mais do que nos dias de hoje

Era do CD Hoje Top 50 Todos os outrosartistas % de vendas CD-Ära Heute Top 50 Alle anderen % der Verkäufe Era del CD Hoy Los 50 más escuchados Todas las categorías % de ventas Ère du CD Aujourd’hui Artistes du top 50 Tous les autres Pourcentage des ventes Era do CD Hoje Top 50 Todos os outros % de vendas

Hoje, muito mais artistas estão participando do sucesso da economia musical. No auge da era do CD, cerca de 25% das vendas de álbuns nos EUA correspondiam aos 50 principais artistas do mercado. No Spotify em 2021, só 12% dos streamings nos EUA foram para esses artistas. Isso significa que as oportunidades de receita agora não estão só restritas às superestrelas.

07 / 10

Mais de 28% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil fazem a distribuição por conta própria no Spotify

Mais de 28% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil fazem a distribuição por conta própria no Spotify

Muitos artistas trabalham com distribuidoras como a DistroKid, TuneCore, CD Baby, entre outras, para disponibilizar suas músicas por conta própria no Spotify (e isso está valendo mais a pena do que nunca). Dos artistas que tiveram US$ 10 mil de receita no Spotify, 28% deles trabalharam com uma distribuidora em 2021. Esses 15.140 artistas representam um aumento de 171% desde 2017.
08 / 10

Hoje, os artistas podem construir uma carreira muito mais rápido graças ao streaming

Hoje, os artistas podem construir uma carreira muito mais rápido graças ao streaming

O streaming diminuiu as barreiras para os músicos e acelerou a busca por uma base de fãs global. Isso significa que os artistas podem passar mais rápido do primeiro single para o primeiro grande pagamento. Mais de 10% dos artistas (5.300) que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify em 2021 lançaram a primeira música nos últimos dois anos. Em 2021, 350 deles geraram US$ 100 mil só no Spotify.

09 / 10

34% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify vivem em países que não estão entre os 10 principais mercados da música

34%

34% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify vivem em países que não estão entre os 10 principais mercados da música

34%

As receitas com streaming estão ampliando as indústrias musicais de mercados emergentes. Assim, é cada vez mais possível seguir uma carreira profissional como artista em países do mundo todo. Em 2021, o Spotify foi lançado em mais de 80 mercados, apresentando os artistas a novos fãs ao redor do mundo. Dos 52.600 artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify em 2021, 34% deles vivem em países fora dos 10 principais mercados da música da IFPI (Austrália, Canadá, China, Itália, França, Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Reino Unido e EUA).

10 / 10
Explorar

Em 2021, o Spotify pagou mais aos artistas do que qualquer outro serviço e, por isso, atingimos o recorde de maior pagamento anual da história já feito por uma empresa de varejo

Explorar

Em 2021, só a receita com streamings foi maior do que os lucros totais do setor em cada ano entre 2009 e 2016

2014 2021 Receita global com músicas gravadas 2014 2021 Weltweiter Umsatz aus Musikaufnahmen 2014 2021 Ingresos mundiales registrados 2014 2021 Revenus mondiaux de la musique enregistrée 2014 2021 Receita global com músicas gravadas
Explorar

Pela primeira vez, mais de mil artistas geraram mais de US$ 1 milhão no Spotify

Explorar

Mais de 50 mil artistas geraram US$ 10 mil só no Spotify e, provavelmente, mais de US$ 40 mil em todas as fontes de receita

Número deartistas 0 52,600 42,500 34,800 29,300 23,400 2021 2017 2018 2019 2020 Anzahl der Künstler*innen 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020 Nombre d’artistes 0 52 600 42 500 34 800 29 300 23 400 2021 2017 2018 2019 2020 Número de artistas 0 52.600 42.500 34.800 29.300 23.400 2021 2017 2018 2019 2020
Explorar

As principais gravadoras geraram mais de US$ 4 bilhões de lucro impulsionado pelo streaming em 2021

Record Labels Gravadoras
Explorar

Pelo segundo ano consecutivo, o Spotify pagou mais de 1 bilhão de dólares a detentores de direitos editoriais

Explorar

No auge da era do CD, o setor favorecia os 50 maiores artistas duas vezes mais do que nos dias de hoje

Era do CD Hoje Top 50 Todos os outrosartistas % de vendas CD-Ära Heute Top 50 Alle anderen % der Verkäufe Era del CD Hoy Los 50 más escuchados Todas las categorías % de ventas Ère du CD Aujourd’hui Artistes du top 50 Tous les autres Pourcentage des ventes Era do CD Hoje Top 50 Todos os outros % de vendas
Explorar

Mais de 28% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil fazem a distribuição por conta própria no Spotify

Explorar

Hoje, os artistas podem construir uma carreira muito mais rápido graças ao streaming

Explorar

34% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify vivem em países que não estão entre os 10 principais mercados da música

34%

Spotify e a economia do streaming

Quantos artistas estão no Spotify?

Quem está ganhando dinheiro? Quanto eles têm feito? O que seriam muitos streamings? Como os artistas recebem o pagamento? Confira abaixo…

Geração de receita ao longo dos anos

Até 2021, o Spotify já pagou mais de US$ 30 bilhões em royalties para a indústria da música, sendo mais de US$ 7 bilhões só em 2021 (mais do que o dobro do valor pago em 2017).* 

Para contextualizar melhor, clique em um valor em dólares abaixo para ver quantos artistas em todo o mundo geraram pelo menos essa quantia no Spotify (por gravação ou publicação no catálogo) nos últimos 5 anos.

Esses números representam apenas uma parte do panorama geral. O Spotify é um dos vários serviços de streaming que geram receitas para a indústria musical. E só o streaming representa uma parte de todas as receitas do setor. Existem também as vendas físicas, turnês, merchandise, sincronizações e outras fontes de lucro. Em 2021, o Spotify ajudou a gerar mais de 20% das receitas com gravações de músicas (em comparação com 15% em 2017).** Se quiser uma estimativa bruta, multiplique por 4 a receita do Spotify para saber o valor aproximado que os artistas geraram com todas as fontes de receita em 2021.

*Os valores de US$ 30 bilhões e US$ 7 bilhões incluem os royalties por gravação e por publicação. 
**Porcentagem de receita gerada no Spotify com gravações de música, calculada com base no Global Music Report 2022 da IFPI.

Qual é o número de artistas que geram diferentes níveis de receitas em comparação com a quantidade total de artistas no Spotify?

Nossa estimativa é de que existam cerca de 200 mil artistas profissionais ou aspirantes no mundo todo. 

Isso pode ser visto nos dados do Spotify: 

  • Das 8 milhões de pessoas que já enviaram uma música para o Spotify, 5,4 milhões publicaram menos de 10 faixas no total. Isso indica que elas estão bem no começo da jornada, consideram a música como um hobby ou não usam o streaming na estratégia de carreira.
  • Existem 165 mil artistas que já lançaram pelo menos 10 músicas no total (ou seja, que têm um portfólio para gerar receita) e têm pelo menos 10 mil ouvintes mensais em média (conseguiram conquistar um público inicial).

Também notamos essa tendência analisando nossas integrações com o Songkick, Ticketmaster e vários outros parceiros de ingressos de shows presenciais e virtuais: 

  • Tivemos 199 mil artistas fazendo pelo menos um evento virtual, show presencial ou apresentação em 2019 (o último ano que não foi impactado pelos cancelamentos da pandemia), o que demonstra atividades profissionais fora do streaming.

Com base nessas estimativas, mais de um quarto desses artistas aspirantes receberam mais de US$ 10 mil do Spotify só no último ano. Isso sugere mais de US$ 40 mil de receita total e um valor ainda maior considerando turnês, merchandise e outras linhas de negócios. 

Para entender esses números em contexto, clique em um valor para ver quantos artistas geraram pelo menos essa quantia em royalties anualmente no Spotify pelos últimos 5 anos:

Números de streaming contextualizados

Assim como qualquer outro grande serviço de streaming, o Spotify paga royalties com base na participação de um artista nos streamings gerais da plataforma. Isso é o que chamamos de “cota por streamings”. Portanto, é importante saber como esses números cresceram no Spotify em 2021 para entender os pagamentos. 

O que era considerado “muitos streamings” há 5 anos já mudou muito. Só em 2021, mais de 238 mil músicas foram ouvidas mais de 1 milhão de vezes.

Insira qualquer número de ouvintes mensais de um artista ou de streamings totais de uma música para comparar com todos os artistas e músicas no Spotify.

*Observação: todos os números são arredondados para o milhar mais próximo.

0

ouvintes mensais posicionam o artista entre os mais ouvidos no Spotify em todo o mundo

Esse artista está entre os 1.000 com mais ouvintes mensais no Spotify

(com base em dados de 2021).

0

streamings totais posicionam a faixa entre as mais tocadas no Spotify em todo o mundo

Essa faixa está entre as 1.000 com mais streamings no Spotify

(com base em dados de 2021).

Como o dinheiro flui

Uma das perguntas que mais recebemos é: como os artistas e compositores são pagos? Explicamos os detalhes neste vídeo publicado no ano passado:

Algumas das vozes musicais do Spotify

Cada um dos artistas no Spotify é único, com seus próprios objetivos e sonhos. Tem aqueles que já conhecemos e adoramos há anos, outros que vêm conquistando nossos corações e os que estão começando a traçar suas carreiras.

Nosso objetivo é ajudar músicos profissionais a viverem do próprio trabalho, e levamos isso muito a sério. Se por um lado nem todos os artistas no Spotify têm o mesmo sucesso, estamos trabalhando para criar oportunidades para que mais criadores alcancem novos fãs. No fim das contas, são os ouvintes que decidem quais artistas chegam no topo. 

Nesta seção, vamos nos concentrar no grupo de artistas profissionais e aspirantes, analisando a jornada deles para aumentar os streamings e as receitas. Detalhamos cada grupo com base nas tendências e dados de streaming para ajudar você a entender melhor quem eles são, como o streaming virou o jogo para eles e o que esperar do futuro. Essas categorias são apenas para fins ilustrativos. Por isso, alguns artistas podem se identificar totalmente com uma ou várias dessas descrições, enquanto outros talvez sintam que fazem parte de outro grupo.

Conheça os artistas que estão no Spotify
Clique e conheça os tipos de artistas que estão no Spotify.
Voltar
FAÇA VOCÊ MESMO
Esses artistas estão aperfeiçoando sua arte e fazendo música de maneiras novas e inovadoras.

Seja no próprio quarto, na garagem ou em estúdios locais, esses artistas produzem suas faixas de forma independente. Alguns já construíram uma carreira, outros estão batalhando pelo sucesso ou explorando as possibilidades criativas. Todos têm um objetivo em comum: compartilhar suas músicas com um universo de fãs que se identificam com elas.

CLIQUE PARA VER MAIS

Seja no próprio quarto, na garagem ou em estúdios locais, esses artistas produzem suas faixas de forma independente. Alguns já construíram uma carreira, outros estão batalhando pelo sucesso ou explorando as possibilidades criativas. Todos têm um objetivo em comum: compartilhar suas músicas com um universo de fãs que se identificam com elas.

Artistas independentes no Spotify

O streaming colocou os artistas independentes em igualdade de condições para mostrarem suas músicas ao mundo. Como os custos de produção e lançamento ficaram mais acessíveis, eles agora têm acesso ao mesmo público global e às mesmas ferramentas que os artistas que estão no topo das paradas. Além disso, podem lançar músicas quando quiserem em qualquer lugar e colaborar com qualquer pessoa. As possibilidades criativas são mais diversas do que nunca, e agora eles podem ser descobertos por muito mais ouvintes em todo o mundo. Praticamente um terço (28%) dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil em 2021 fizeram a própria disponibilização de conteúdo no Spotify por uma distribuidora, o que representa um número 171% maior do que em 2017.

  • Critérios: ter mais de 10 mil ouvintes mensais em 2021 e distribuir suas músicas no Spotify por uma distribuidora
  • Número de artistas independentes: 72.700
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 15.100
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 117.812
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para a centena mais próxima.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
ESPECIALISTA
Esses artistas, compositores e produtores identificaram um público de nicho que curte o som único deles.

Com um mindset empreendedor, eles criam sons que agradam ouvintes ávidos por esse tipo de conteúdo. Em suas inovações e invenções musicais, eles encontraram novos caminhos para criar.

CLIQUE PARA VER MAIS

Com um mindset empreendedor, eles criam sons que agradam ouvintes ávidos por esse tipo de conteúdo. Em suas inovações e invenções musicais, eles encontraram novos caminhos para criar.

Especialistas no Spotify

Na era do streaming, existe uma grande demanda por sons ambientes para dormir e músicas para meditação, enquanto no passado poucas pessoas comprariam um álbum para esses fins específicos. Além disso, os artistas especializados em categorias como ioga e exercícios, conteúdo infantil e músicas para festas de fim de ano estão gerando mais renda do que nunca. Com as inovações que o streaming trouxe, como criação de playlists, busca por músicas e recomendações por algoritmos, agora é possível fazer sucesso sem precisar vender álbuns, sair em turnê e fazer divulgação. Também há novas experiências de áudio para esses artistas, como apps dedicados e o famoso ecossistema de playlists personalizadas para cada astral, momento e objetivo.

  • Critérios: mais de 25 mil ouvintes mensais, com mais de 90% das faixas nas categorias Infantil, Clássico, Easy Listening, Festas de fim de ano, Música religiosa ou Trilha sonora
  • Número de artistas especialistas: 4.900
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 36.100
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 219.800
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para a centena mais próxima.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
REVELAÇÃO
Esses artistas em ascensão estão dando o que falar e as gravadoras estão de olho neles.

Eles estão cada vez mais populares e construindo uma base de fãs fiéis graças às novas possibilidades de descoberta. Para alguns, parece que foi do dia pra noite. Para outros, foram anos de trabalho. Esses artistas super promissores estão prontos para passar de ídolos locais a atrações principais de grandes festivais.

CLIQUE PARA VER MAIS

Eles estão cada vez mais populares e construindo uma base de fãs fiéis graças às novas possibilidades de descoberta. Para alguns, parece que foi do dia pra noite. Para outros, foram anos de trabalho. Esses artistas super promissores estão prontos para passar de ídolos locais a atrações principais de grandes festivais.

Revelações no Spotify

O streaming está ajudando mais artistas novos a alcançarem o sucesso, aproveitando toda a energia de um mundo que segue a velocidade da fama nas redes sociais. E agora, esses artistas vão do primeiro single para o primeiro grande pagamento mais rapidamente. Mais de 10% dos artistas que geraram pelo menos US$ 10 mil em 2021 (5.300) lançaram sua primeira música nos últimos 2 anos. Vale notar que 350 deles geraram mais de US$ 100 mil em 2021 só no Spotify. Graças ao trabalho, determinação e talento desses artistas, e com a ajuda das playlists, eles foram descobertos e se tornaram grandes sensações em um piscar de olhos. Mais de 150 mil artistas foram adicionados às playlists editoriais do Spotify pela primeira vez entre 2020 e 2021. E com o streaming, os ouvintes podem acessar o catálogo inteiro de um artista revelação usando a música que acabaram de descobrir e virar fãs na mesma hora.

  • Critérios: artistas com menos de 1 milhão de streamings antes de 2020 e que agora estão no top 50 mil por número de streamings
  • Número de artistas revelação: 21.600
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 90 mil
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 661.600
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para o milhar mais próximo.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
LÍDERES DAS PARADAS
Esses grandes astros têm carreiras espetaculares e estão mudando o cenário musical em todo o mundo.

A vida deles é um sonho. Todas as crianças, seus colegas de trabalho e até seus avós já ouviram falar deles. Suas músicas tocam em todo lugar, e eles estão no topo de qualquer parada. Lançam hit após hit, e a popularidade deles ultrapassa as barreiras geográficas. Em 2021, cada um desses artistas gerou milhões de dólares só no Spotify, e alguns deles alcançaram receitas totais na casa das dezenas de milhão.

CLIQUE PARA VER MAIS

A vida deles é um sonho. Todas as crianças, seus colegas de trabalho e até seus avós já ouviram falar deles. Suas músicas tocam em todo lugar, e eles estão no topo de qualquer parada. Lançam hit após hit, e a popularidade deles ultrapassa as barreiras geográficas. Em 2021, cada um desses artistas gerou milhões de dólares só no Spotify, e alguns deles alcançaram receitas totais na casa das dezenas de milhão.

Líderes das paradas no Spotify

O streaming transformou as regras para chegar ao topo das paradas. Coisas que eram inimagináveis há uma década agora são comuns, como estourar mundialmente antes de bombar no próprio mercado, chegar ao topo das paradas em um país que não fala sua língua e alcançar um grande sucesso sem seguir o ciclo tradicional de lançamento de álbuns. Não existe só um caminho para o topo e os superastros estão encontrando maneiras melhores, mais divertidas e pessoais de chegar lá.

  • Critérios: estar entre os 500 artistas mais tocados em 2021
  • 500 artistas líderes das paradas
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 4 milhões
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 19,6 milhões
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para a centena de milhar mais próxima.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
COMPOSITORES E PRODUTORES
Esses criadores de hits têm um talento especial para compor as músicas que todos conhecem e amam. Muitos deles são músicos que compõem ou produzem as próprias faixas.

Talvez você não conheça suas vozes, mas já se emocionou com as músicas desses artistas. No ano passado, compartilhamos que desde 2011 o número de compositores nos EUA cresceu mais de meio milhão, totalizando 1,6 milhão e contribuindo para a criação de mais de 20 milhões de faixas no mercado norte-americano. Já o número de compositores britânicos aumentou 115% desde 2009, totalizando 140 mil. Acreditamos que esses números cresceram em 2021. 

CLIQUE PARA VER MAIS

Talvez você não conheça suas vozes, mas já se emocionou com as músicas desses artistas. No ano passado, compartilhamos que desde 2011 o número de compositores nos EUA cresceu mais de meio milhão, totalizando 1,6 milhão e contribuindo para a criação de mais de 20 milhões de faixas no mercado norte-americano. Já o número de compositores britânicos aumentou 115% desde 2009, totalizando 140 mil. Acreditamos que esses números cresceram em 2021. 

Compositores e produtores no Spotify

O streaming está mudando a relação entre compositores e ouvintes. Em vez de ficarem só nos bastidores, os compositores e produtores agora têm cada vez mais oportunidades de receber o devido reconhecimento e impulsionar suas carreiras. Agora também é mais fácil encontrar os compositores nos créditos como intérpretes. 

Com o streaming, ficou mais fácil para os compositores e produtores também lançarem suas músicas, seja em um projeto paralelo ou em tempo integral. Assim, eles podem ganhar royalties de gravação e de composição. E com os créditos interativos e playlists “Written By” que mostram o catálogo completo de um compositor ou produtor, fãs de música do mundo todo podem se encantar com essas mentes brilhantes por trás de músicas tão inesquecíveis.

  • Critérios: compositores ou produtores de faixas cantadas por eles próprios ou por outros artistas
    Total de receitas globais para detentores de direitos de composição de todos os serviços de streaming:
  • 2020: US$ 3,5 bi*
  • 2019: US$ 2,9 bi*
  • 2018: US$ 2,3 bi*
  • 2017: US$ 1,6 bi*
*

Dados baseados no relatório Global Value of Music Copyright (Valor global dos direitos autorais da música), Will Page

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
CONSOLIDADOS
Esses artistas conseguiram construir uma carreira e conquistar fãs eternos com a música deles.

Em vez de se concentrarem em entrar nas paradas, eles mantêm carreiras que se sustentam ao longo dos anos, compartilhando playlists frequentes e ideias criativas. Os fãs são eternamente fiéis, e as músicas deles tocam profundamente a vida das pessoas.

CLIQUE PARA VER MAIS

Em vez de se concentrarem em entrar nas paradas, eles mantêm carreiras que se sustentam ao longo dos anos, compartilhando playlists frequentes e ideias criativas. Os fãs são eternamente fiéis, e as músicas deles tocam profundamente a vida das pessoas.

Consolidados no Spotify

O streaming ofereceu aos artistas uma maneira de conhecer melhor seus fãs e seu potencial de lucro. Com bases de fãs consolidadas e catálogos poderosos, esses artistas profissionais agora podem contar com fontes de renda mais previsíveis e estáveis ano após ano. Os dados de streaming também ajudam esses artistas a entender melhor seu público e tomar decisões lucrativas sobre turnês e merchandise. E graças às playlists e aos seguidores, os artistas podem encontrar novos públicos e manter os fãs de sempre ouvindo as músicas deles por mais tempo.

  • Critérios: estar entre os 50 mil artistas mais tocados por número de ouvintes por 3 anos consecutivos (excluindo os 500 artistas mais tocados)
  • Número de artistas consolidados: 26.900
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 218 mil
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 1,2 milhão
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para o milhar mais próximo.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
CONSAGRADOS
Esses artistas adorados pelo público construíram um patrimônio musical sólido que se mantém na era do streaming.

Em geral, eles têm muitos álbuns lançados e já fazem sucesso há algumas décadas. Esses artistas foram reconhecidos por suas inúmeras contribuições musicais ao longo dos anos e inspiraram muitos outros. Na ativa ou não, eles continuam inspirando e conquistando fãs pelo mundo todo.

CLIQUE PARA VER MAIS

Em geral, eles têm muitos álbuns lançados e já fazem sucesso há algumas décadas. Esses artistas foram reconhecidos por suas inúmeras contribuições musicais ao longo dos anos e inspiraram muitos outros. Na ativa ou não, eles continuam inspirando e conquistando fãs pelo mundo todo.

Consagrados no Spotify

O streaming uniu duas gerações de ouvintes dos artistas consagrados: os que acompanharam as carreiras deles na época e os que estão descobrindo as músicas agora. Com o streaming, esses dois grupos podem navegar facilmente por vastos catálogos e encontrar suas faixas favoritas. Além disso, os artistas agora têm novas maneiras de reinventar seus catálogos para celebrar momentos importantes com os fãs (aniversários, marcos, novas playlists). Eles também têm a possibilidade de aproveitar saltos de popularidade com o uso das suas músicas em outros conteúdos, redes sociais e mudanças culturais. Na era do streaming, artistas consagrados podem gerar royalties permanentemente de maneira passiva, e não só em um ciclo de lançamento. Agora, eles não dependem exclusivamente dos picos de vendas físicas ou de downloads no primeiro mês, como no passado.

  • Critérios: mais de 500 mil ouvintes mensais em 2021 e 80% dos streamings em faixas com mais de 5 anos
  • Número de artistas consagrados: 2.700
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 473 mil
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 2,8 milhões
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os números são arredondados para o milhar mais próximo.

VER MAIS ARTISTAS
Voltar
MOVIMENTADORES DE MERCADO
Essas estrelas em ascensão vêm de mercados em todo o mundo que estão vendo um crescimento explosivo nas receitas provenientes do streaming de música.

Elas estão rompendo barreiras geográficas, levando suas vozes a ouvintes em novos lugares e enchendo seus fãs locais de orgulho.

CLIQUE PARA VER MAIS

Elas estão rompendo barreiras geográficas, levando suas vozes a ouvintes em novos lugares e enchendo seus fãs locais de orgulho.

Movimentador de mercado no Spotify

O streaming tem acelerado um enorme crescimento em novos mercados da indústria musical. Em 2021, 34% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify vieram de países que não estão entre os 10 principais mercados da música. E vários desses mercados têm crescido bastante ao redor do mundo: a IFPI descobriu que as receitas com gravações musicais aumentaram em todas as regiões do planeta em 2021. O crescimento foi de mais de 25% ao ano na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Grécia, Itália, México, Oriente Médio e Norte da África, Filipinas, Polônia, Rússia, Tailândia, Turquia, África Subsaariana (excluindo África do Sul), Venezuela e Vietnã.

Nesses mercados, a adoção do streaming pelos fãs de música gerou enormes receitas que teriam sido perdidas com a pirataria. É por isso que os artistas desses marcados podem transformar suas ideias em carreiras em tempo integral, além de dar destaque a mais músicas dessas regiões. Esses artistas também têm uma chance inédita de divulgar as músicas para o mundo inteiro e alcançar o sucesso em novos mercados graças ao poder das playlists. Em 2021, o Spotify foi lançado em mais de 80 novos mercados, oferecendo mais oportunidades para que artistas no mundo todo alcancem possíveis fãs.

  • Critérios: mais de 25 mil ouvintes mensais no mundo todo em 2021 e em um dos 17 mercados (listados acima) em que as gravações musicais cresceram mais de 25% ao ano em 2021, de acordo com a IFPI
  • Número de artistas movimentadores do mercado: 27.400
  • Média de royalties gerados em 2021*: US$ 24.800
  • Média de ouvintes mensais em 2021: 278 mil
*

A média de royalties gerados representa a receita de 2021 criada com o catálogo inteiro de um artista em termos de gravação e publicação no Spotify. Os royalties estão em dólares americanos, convertidos das moedas locais. Os números são arredondados para a centena mais próxima.

VER MAIS ARTISTAS

Contexto do setor

Aprenda ainda mais com outros recursos úteis sobre streaming com think tanks, acadêmicos, economistas e grupos do setor, além do nosso Spotify for Artists.

Um pouco sobre o setor editorial

O setor editorial, que representa os compositores e produtores, é muito complexo. Mesmo assim, a receita que as editoras estão gerando com as gravações de músicas nunca foi tão grande. Pelo segundo ano consecutivo, o Spotify pagou aos detentores de direitos editoriais mais de 1 bilhão de dólares. O economista especializado no setor musical e autor do livro Tarzan Economics, Will Page, analisou as receitas geradas entre 2001 e os dias de hoje para descobrir como o streaming impactou a indústria.

Só com o streaming, produtores, compositores e CMOs estão gerando mais receita do que era possível com CDs e downloads

Os detentores de direitos editoriais garantiram US$ 3,5 bilhões com o streaming em geral em 2020. Esse valor é muito maior do que a receita gerada com CDs e downloads em qualquer ano do século 21 até agora, mesmo durante o auge da era dos CDs.

Receitas globais com consumidores geradas por produtores, compositores e CMOs (bilhões de dólares)

Receitas com vendas (CDs e downloads)

Receitas com streaming (pago e gratuito)

‘01 ‘02 ‘09 ‘19 ‘10 ‘20 ‘12 ‘03 ‘13 ‘04 ‘14 ‘05 ‘15 ‘06 ‘16 ‘07 ‘17 ‘08 ‘18 ‘11 US$ 4 US$ 3 US$ 2 BILHÕES (US$) US$ 1 $0

Fonte: “Global Music Report 2021” da IFPI, valores em bilhões de dólares americanos (moeda constante)

Dicas para compositores e produtores iniciantes

A equipe do Noteable conversou com as organizações líderes do mercado global que ajudam compositores e produtores a garantirem suas partes dos royalties gerados com o streaming. Clique nas opções abaixo para acessar o site do Noteable (em inglês), dedicado aos compositores e produtores. Lá, você confere as melhores dicas das principais instituições de arrecadação e organizações de direitos autorais de execução pública:

As respostas para suas perguntas

Sabemos que você tem muitas dúvidas sobre a economia do streaming de música e queremos esclarecer tudo. Aqui, respondemos às perguntas que recebemos com mais frequência dos artistas. Vamos continuar aumentando a lista sempre que surgirem novas perguntas.

  • Por que o Spotify criou o Loud & Clear? Como isso ajuda os artistas?

    Dúvidas sobre o pagamento dos artistas por streaming existem há mais de uma década. Nosso objetivo com este site é oferecer uma base importante para possibilitar conversas construtivas. Ao compartilhar mais informações, queremos tirar dúvidas e oferecer recursos úteis sobre a indústria do streaming atual. Esperamos que outras partes do setor também comecem a participar dessas conversas.

  • Quais são as novidades do Loud & Clear este ano?

    Em 24 de março de 2022, um ano após o lançamento deste site, incluímos os dados de royalties de 2021 e novos recursos:

    • Como este site tem muitas informações, incluímos uma seção com os 10 principais aprendizados em 2021 na parte superior da página.
    • Adicionamos mais detalhes à seção “Geração de receita ao longo dos anos”, principalmente o número de artistas que ultrapassaram as marcas de US$ 2 milhões e US$ 5 milhões de receita.
    • Incluímos uma nova área relacionada ao setor editorial na seção “Contexto do setor”.
  • A indústria da música não era melhor antes do streaming?

    O Spotify tem um papel fundamental na formação de uma indústria musical mais saudável. Ele funciona como uma espécie de rádio e uma loja de discos juntas, mas sem as limitações delas. 

    Com a rádio, os artistas alcançam muitos ouvintes. No entanto, o espaço para músicas é limitado: elas geralmente tocam as Top 40, o que dificulta a entrada dos artistas na programação. Além disso, em alguns mercados, nem todos os profissionais recebem quando suas músicas são tocadas. 

    Os artistas lucram quando seus álbuns são vendidos por um preço alto em uma loja. Mas essas vendas, físicas ou online, não arrecadam dinheiro de todas as pessoas que curtem o artista, só daquelas que estão dispostas a pagar para baixar as faixas ou comprar o CD.

    O Spotify soluciona esses problemas com o streaming. Com ele, os fãs curtem os artistas favoritos no repeat, e os ouvintes casuais descobrem novas músicas ou relembram as que adoravam. Os dois tipos de experiência geram receita: seja pelos fãs que assinam o Spotify Premium ou os anunciantes que financiam o Spotify Free. 

    Com base na nossa análise sobre os dados da RIAA (Associação Americana da Indústria de Gravação), a indústria musical na era do CD favoreceu as grandes estrelas 2 vezes mais do que os dias de hoje. No auge dessa era, 25% das vendas nos EUA eram dos 50 artistas de maior sucesso no mercado. Em 2021, só 12% dos streamings nos EUA foram para esses artistas. Isso significa que as oportunidades de receita agora não estão só restritas aos grandes nomes do setor.

    Quando lançamos o Spotify em 2008, a indústria fonográfica mundial estava devastada pela pirataria, em uma queda vertiginosa desde o pico de mais de US$ 24 bilhões em 1999 até o ponto mais baixo do setor em 2014, quando a receita das vendas físicas e digitais combinadas foi de US$ 14 bilhões. 

    Desde então, o streaming tem impulsionado o renascimento da indústria musical. Em 2021, o Spotify pagou mais de US$ 7 bilhões a esse setor, um valor muito maior do que qualquer outro serviço. Isso representa mais do que o dobro do valor pago em 2017 (US$ 3,3 bilhões) e uma grande parcela dos US$ 30 bilhões que já fornecemos aos detentores de direitos desde nossa fundação. Até se ajustarmos a quantia de acordo com a inflação, esse total de US$ 7 bilhões é o maior valor da história já pago por uma empresa de varejo à indústria da música em apenas um ano. E isso inclui qualquer varejista no auge da era do CD e do download digital. 

    Considerando o crescimento do total de royalties pagos a detentores de direitos e o número cada vez maior de artistas que conseguem fazer sucesso graças ao streaming, acreditamos que o futuro para os artistas e suas carreiras é incrivelmente promissor. O relatório de 2022 da IFPI mostra que a indústria mundial da música em 2021 ultrapassou oficialmente seu pico em 1999, gerando US$ 25,9 bilhões de receita.

  • O streaming só ajuda as estrelas da música?

    Não. O streaming mudou o ecossistema do setor, reduzindo as barreiras para os músicos e democratizando o acesso à música para ouvintes em todo o globo. Os artistas não precisam mais de um orçamento enorme para criar, distribuir e compartilhar a arte deles com o mundo. 

    Em 2020 e 2021, mais de 150 mil artistas entraram nas playlists do Spotify pela primeira vez. Além disso, a grande maioria deles foi descoberta pela ferramenta de apresentação para playlists do Spotify for Artists, disponível gratuitamente para todos os artistas. 

    Mais artistas estão participando da economia da música atualmente do que no auge da era do CD. Nessa época, cerca de 25% das vendas nos EUA correspondiam aos 50 artistas de maior sucesso do mercado. No Spotify em 2021, só 12% dos streamings nos EUA foram para esses artistas. Isso significa que as oportunidades de receita hoje não estão só restritas às grandes estrelas. Além disso, em 2021, mais de 28% dos artistas que geraram mais de US$ 10 mil no Spotify fizeram a distribuição por conta própria, e 34% vivem em países que não estão entre os 10 principais mercados da música.

  • Milhões de artistas têm perfis no Spotify, mas apenas uma pequena parcela está ganhando dinheiro. A porcentagem não deveria ser maior, já que existem 8 milhões de artistas na plataforma?

    Nossa missão é criar oportunidades para artistas profissionais se sustentarem com o próprio trabalho. Cada artista é único, e o sucesso não significa a mesma coisa para todos eles.

    O fato é que 8 milhões de pessoas já enviaram alguma música para o Spotify. No entanto, carregar um ou dois vídeos no YouTube não significa que a pessoa está querendo virar profissional. Da mesma forma, lançar algumas músicas no Spotify não quer dizer que a pessoa está seguindo uma carreira na música. Por exemplo, das 8 milhões de pessoas que distribuíram músicas para o Spotify, 5,4 milhões delas lançaram menos de 10 faixas até hoje. Muitos desses artistas provavelmente estão no começo da jornada, consideram isso como um hobby ou não estão usando o streaming como parte da estratégia de carreira.

    Estimamos que existam cerca de 200 mil artistas fonográficos profissionais e aspirantes no mundo todo. Os dados do Spotify mostram isso: 165 mil artistas já lançaram pelo menos 10 músicas até hoje (ou seja, têm um portfólio para gerar receita) e contam com pelo menos 10 mil ouvintes mensais em média (conseguiram conquistar um público). Também notamos essa tendência analisando nossas integrações com o Songkick, Ticketmaster e vários outros parceiros de ingressos de shows presenciais e virtuais: 199 mil artistas anunciaram algum evento virtual, show presencial ou apresentação em 2019 (o último ano que não foi impactado pelos cancelamentos da pandemia), o que demonstra atividades comerciais fora do streaming.

    Esses dados sugerem entre 165 mil e 199 mil artistas. No entanto, devido à margem de erro na nossa metodologia, consideramos a quantidade de 200 mil como uma estimativa razoável. Mas é claro, reconhecemos que é difícil supor as intenções profissionais dos artistas apenas por dados.

    Com base nessa estimativa, é possível calcular que mais de um quarto dos artistas profissionais ou aspirantes geraram US$ 10 mil em 2021 só no Spotify e, provavelmente, US$ 40 mil com todas as outras fontes de receita.

  • Ouvi falar que o Spotify paga uma fração de centavo por streaming. Isso é verdade?

    Na era do streaming, os fãs não pagam pela música. Por isso, acreditamos que uma taxa “por streaming” não oferece valores significativos para analisarmos. Assim como qualquer outro grande serviço de streaming, o Spotify paga royalties com base na participação de um artista nos streamings gerais da plataforma. Isso é o que chamamos de “cota por streamings”.  

    O foco do Spotify está em maximizar o número total de pagamentos que podemos fazer a detentores de direitos, ou seja, aqueles que pagam os artistas e compositores. Acreditamos que os dados neste site demonstram nosso progresso. Nossos valores pagos são muito maiores do que qualquer outro serviço de streaming. Na verdade, a indústria musical recebeu US$ 7 bilhões do Spotify em 2021. É por isso que atingimos o recorde de maior pagamento anual da história feito por uma empresa de varejo.

    E nossos incentivos estão alinhados aos artistas: quanto mais receita geramos, mais pagamentos eles recebem. 

    Ainda assim, entendemos que é útil para os artistas calcular uma taxa “por streaming” efetiva, dividindo o tamanho total do fundo de royalties do Spotify pelo número total de streamings de músicas na plataforma. Falamos mais sobre isso na pergunta “Por que o valor por streaming parece ser mais baixo no Spotify que em outros serviços?” nesta página.

    Nosso modelo gera mais engajamento dos fãs e receita de mais lugares. Isso significa mais pagamentos do Spotify para os detentores de direitos. É por isso que pagamos mais do que qualquer outro serviço. Fazemos algumas escolhas que reduzem a “taxa por streaming”, mas acreditamos que assim maximizamos a receita total, gerando o máximo de dinheiro possível para os detentores de direitos e seus respectivos artistas e compositores.

  • Se um artista tem milhões de streamings, por que ele não ganha mais?

    O Spotify está no mercado há mais de uma década. Hoje, temos mais de 406 milhões de ouvintes e mais streamings mensais do que nunca, o que significa que a atividade na plataforma está crescendo exponencialmente. 

    E os pagamentos dos serviços de streaming são baseados em uma cota por streamings, e não em uma taxa por streaming.

    O Spotify faz pagamentos aos detentores de direitos todo mês. No entanto, nosso app mostra os streamings totais, e não quantas vezes uma música foi tocada em um determinado ano ou mês. É por isso que esses números de streamings totais não estão correlacionados ao pagamento mensal que um artista recebe dos detentores de direitos. 

    Graças à popularidade do streaming e o aumento do engajamento por usuário, o significado de “1 milhão de streamings” mudou ao longo dos anos: muitas faixas estão atingindo essa marca, e com mais frequência do que você imagina. Na verdade, 718 mil músicas já ultrapassaram 1 milhão de streamings e 238 mil chegaram a esse número só em 2021. Mais de 230 músicas atingiram 1 bilhão de streamings. Para ter uma noção melhor do ecossistema do Spotify, você pode brincar com a ferramenta interativa do site, que reflete os dados até dezembro de 2021.

  • Por que o valor por streaming parece ser mais baixo no Spotify que em outros serviços desse tipo?

    Na era do streaming, os ouvintes não pagam por cada música, e os grandes serviços não pagam por streaming. Por isso, não acreditamos que uma “taxa por streaming” seja interessante. Ainda assim, entendemos que é útil para os artistas poder calcular uma “taxa por streaming” efetiva ou, em outras palavras, uma proporção de receita por streamings, dividindo o tamanho total do fundo de royalties do Spotify (o numerador) pelo número total de streamings de músicas (o denominador). Esses dois números vêm crescendo muito rápido a cada ano.

    São vários os fatores que contribuem para que essa taxa pareça pequena, e entendemos que isso parece problemático. Mas nós não vemos dessa forma e acreditamos que nosso modelo maximiza a receita para todos. Os resultados comprovam: em 2021, a indústria musical recebeu US$ 7 bilhões do Spotify, um valor que nenhum outro serviço concedeu. É por isso que alcançamos o recorde de maior pagamento anual da história feito por uma empresa de varejo.

    Existem 3 decisões empresariais que nós tomamos para maximizar as receitas dos detentores de direitos. Mesmo que essas decisões diminuam a taxa efetiva por streaming no Spotify, acreditamos que os artistas prefiram pagamentos maiores em vez dela.

    Muitos streamings por ouvinte: em média, os assinantes do Spotify ouvem mais música por mês que em outros serviços. Isso significa mais pessoas descobrindo mais artistas, mais oportunidades de aprofundar o engajamento com os ouvintes e mais chances de conquistar novos fãs, que compram ingressos para shows e merchandise. Esse engajamento, assim como os milhões de novos assinantes do Spotify a cada mês, afeta o denominador da taxa de receita por streamings. 

    Maior público global: o Spotify é mais famoso em países onde os preços são mais baixos, o que faz com que nossa taxa de receita por streamings pareça menor em comparação com serviços não focados nesses mercados. Oferecer um preço acessível aos ouvintes é a melhor forma de gerar receita nesses lugares, que não teriam sido conquistados se o valor da assinatura fosse mais caro. Crescer nesses territórios aumenta a receita total da indústria e dos artistas, além do fundo de royalties para os detentores de direitos. Isso afeta o numerador da taxa

    Plano com anúncios: ao contrário da maioria dos nossos concorrentes, o Spotify oferece um serviço de assinatura Premium e um plano gratuito com anúncios. Por isso, não é justo comparar a taxa de receita por streamings do Spotify com os concorrentes que oferecem apenas assinaturas pagas. O serviço com anúncios não gera tanta receita por usuário quanto o plano Premium, mas fizemos vários testes que mostram um resultado consistente: quando eliminamos o serviço gratuito, os ouvintes recorrem a alternativas que não geram receita, ou seja, a indústria musical como um todo estaria perdendo lucros. O relatório de 2022 da IFPI descobriu que a receita com streaming financiado por anúncios aumentou 31% (chegando a US$ 4,6 bilhões) em 2021 em todo o setor, um valor que se iguala aos lucros gerados com a venda de formatos físicos. Isso também impacta o numerador do cálculo. Vale notar que a oferta de um serviço com anúncios também é uma das estratégias mais eficazes para levar os ouvintes a comprar uma assinatura paga: praticamente 60% dos assinantes do Premium já foram usuários do Spotify Free. Isso mostra, mais uma vez, como estamos maximizando a receita para todos.

  • Como os artistas e compositores recebem o pagamento?

    O Spotify não faz pagamentos diretamente para os artistas e compositores. 

    O Spotify gera dinheiro com música de duas maneiras: com os assinantes do Spotify Premium e com os anunciantes do Spotify Free. Cerca de dois terços desse dinheiro vai para os detentores dos direitos das músicas. Em 2021, essa quantia (que chamamos de “fundo de royalties”) foi de mais de US$ 7 bilhões só no Spotify.

    O Spotify distribui esses royalties de acordo com a cota por streamings de cada detentor de direitos na plataforma. Esse dinheiro não é dividido com base em um valor fixo por streaming, porque os assinantes do Premium não pagam por streaming, e sim para ter acesso ao plano. 

    Para entender melhor, assista ao vídeo “Como o dinheiro flui”.

  • Por que o Spotify não cobra mais dos ouvintes?

    O Spotify convenceu as pessoas a pagarem um valor fixo mensal para ouvir música, evitando que elas recorram à pirataria. O custo de uma assinatura tem um impacto no orçamento de muitos. Precisamos ter cuidado ao subir preços, porque não queremos que as pessoas voltem a consumir pirataria ou soluções não monetizadas. Na verdade, um adulto comum atualmente gasta quase o dobro com música em comparação com o auge da era do CD em 1999, e hoje, milhões de pessoas a mais fazem esse investimento. 

    Dito isso, estamos sempre avaliando nossos preços em cada mercado e reajustamos os valores em alguns deles. Como o Spotify e os detentores de direitos dos artistas levam uma parte do mesmo montante, nossos objetivos estão totalmente alinhados: todos queremos gerar o máximo de receita possível dos ouvintes e dos anunciantes.

    Ao longo dos anos, aumentamos o preço da assinatura em diferentes mercados pelo mundo e continuaremos fazendo isso sempre que fizer sentido, com base em diversos fatores locais e regionais.

  • A receita dos artistas não deveria ser muito maior do que os números que vocês estão apresentando?

    Nossa prioridade é aumentar o valor total que o Spotify paga aos detentores de direitos dos artistas e compositores. Por isso, os dados neste site refletem apenas uma fonte de receita: royalties do Spotify. Esperamos que as taxas de crescimento que mostramos aqui se mantenham como, por exemplo, o número de artistas que geraram mais de US$ 100 mil por ano cresceu mais de 120% de 2017 a 2021. Isso que dizer que o número de artistas que alcançou cada nível de receita no Spotify (por exemplo, US$ 10 mil, US$ 100 mil, US$ 1 milhão) mais que dobrou nos últimos cinco anos.  

    Vale lembrar que o Spotify é apenas um dos muitos serviços de streaming de música do mercado, representando mais de 20% de toda a receita global. Isso significa que você precisa multiplicar por 4 os lucros mostrados no Loud & Clear para fazer uma estimativa de quanto cada artista pode gerar com todas as fontes de receita.

    Os números neste site também não incluem a receita gerada com turnês, merchandise e outras fontes. Além disso, o Spotify pode ter um efeito multiplicador: as bases de fãs construídas na nossa plataforma podem gerar renda para artistas e suas equipes dessas outras formas.

  • Como vocês determinaram que o valor de US$ 7 bilhões pago pelo Spotify aos detentores de direitos alcançou o recorde de maior pagamento já feito por uma empresa de varejo de música em apenas um ano?

    O Spotify pagou mais de US$ 7 bilhões aos detentores de direitos de gravação e publicação em 2021. Para confirmar que este foi o maior valor anual já pago na história por uma empresa de varejo, compilamos alguns dados comprovados e disponíveis ao público sobre as eras do CD, download digital e streaming. Além disso, consideramos os maiores varejistas de cada uma dessas épocas, além daqueles que contribuíram para a receita combinada nessas fontes. 

    Para avaliar os varejistas do streaming, analisamos declarações públicas e informações de serviços de streaming, gravadoras e distribuidoras. 

    Para avaliar os downloads digitais, usamos os dados da IFPI, que indicam a receita de US$ 4,4 bilhões gerada com downloads digitais para o setor de gravações musicais durante seu auge em 2012 (em todos os varejistas). Esse valor é bem menor do que as contribuições comparáveis do Spotify (ajustadas à inflação) para o setor da música em 2021. 

    Ao avaliar as principais lojas de CD no auge dessa era, não encontramos evidência de que qualquer uma delas tenha pagado mais do que US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões em apenas um ano. Por exemplo, relatórios públicos indicam que a Trans World gerou US$ 1,4 bilhão em 1999, a Tower Records atingiu no máximo US$ 1 bilhão, e a Musicland teve o lucro de US$ 931 milhões em 1996. 

    Também analisamos alguns cenários combinados, como varejistas que oferecem serviços de streaming, downloads digitais e/ou vendas físicas. O foco da análise foi voltado à receita de gravação e publicação, sem considerar as varejistas não relacionadas a gravações musicais do setor de shows/turnês.

    Como consideramos uma taxa de inflação anual de 2%, a quantia de US$ 7 bilhões do Spotify em 2021 equivale a US$ 6,4 bilhões em 2015, US$ 4,7 bilhões em 1999 e assim por diante. Até mesmo com esse ajuste, o pagamento do Spotify em 2021 continua sendo o maior já feito na história por uma empresa de varejo do mercado fonográfico em apenas um ano.

  • Vocês dizem que basta multiplicar por quatro os royalties de um artista no Spotify para fazer uma estimativa da receita total de música. Isso é verdade mesmo?

    A maioria dos dados mostrados no Loud & Clear é voltada apenas à receita gerada pelos artistas só no Spotify. Para ter uma ideia mais geral de quanto um artista pode ter gerado com todas as fontes de receita, temos 3 caminhos:

    Streaming (3x): o Spotify representa um terço da receita global gerada por todos os serviços de streaming. A proporção de receita de um artista pode variar de acordo com o gênero musical, o público e as estratégias de marketing desse indivíduo. No entanto, basta multiplicar por 3 os royalties do Spotify para fazer uma estimativa de quanto um artista pode ter gerado com todos os serviços de streaming. Portanto, com uma receita de US$ 100 mil no Spotify, um artista pode ter gerado US$ 300 mil em streamings gerais.

    Gravações (4x): com base nos dados da IFPI, o Spotify é responsável por mais de 20% da receita global de gravações musicais. A receita com gravações musicais é todo o dinheiro gerado pelo próprio mercado fonográfico, incluindo streaming, vendas físicas (CD e vinil), licenças de sincronização, direitos autorais de execução pública e downloads digitais. Novamente, a proporção de receita do Spotify para um artista pode variar. No entanto, em média, basta multiplicar por 4 os royalties do Spotify para fazer uma estimativa de quanto um artista pode ter gerado com todas as fontes de receita global com gravações musicais. Portanto, com um valor de US$ 100 mil no Spotify, um artista pode ter gerado US$ 400 mil de receita total em gravações.

    Receita total: os números deste site também não incluem os fluxos de receita não relacionada a gravações musicais, como shows, merchandise, patrocínios de marca e muito mais. Esses fluxos complementam a receita com gravações musicais e podem variar de tamanho.

  • Como o Spotify pretende cumprir essa missão?

    Primeiro, o streaming já é a principal fonte de receita da indústria fonográfica. Nossa intenção é continuar fazendo o streaming crescer ainda mais ao aprimorar nosso serviço, expandir para novos mercados e atrair mais ouvintes e anunciantes. Em 2021, só a receita com streaming (em todos os serviços) foi maior do que os lucros da indústria inteira com todos os formatos de música gravada considerando cada ano entre 2009 e 2016. Nossos incentivos estão alinhados: ganhamos dinheiro quando a indústria musical ganha dinheiro. E nossa receita vem crescendo rapidamente: em 2021, o Spotify foi responsável por mais de 20% de toda receita gerada por gravações musicais, um salto em relação a menos de 15% em 2017. 

    Segundo, investimos uma parte significativa da receita que o Spotify arrecada na criação de ferramentas, recursos e oportunidades para artistas, compositores e toda a indústria da música. Isso inclui investimentos em personalização, playlists e apoio editorial e de marketing, dentro e fora da plataforma. Nosso objetivo é ajudar o setor a aproveitar todo o potencial do Spotify, incentivar descobertas e aumentar as bases de fãs. Assim, a indústria ganha mais não só com o Spotify, mas também com a venda de merchandise, licenças de sincronização, ingressos etc.

  • Como é calculada a cota por número de streamings?

    Calculamos a cota por streamings mensalmente em cada país onde operamos somando o número de vezes que as músicas de um detentor de direitos específico foi ouvida e dividindo o resultado pelo número total de streamings nesse mercado.

    Por exemplo, se um artista no Spotify teve 1 em cada 1.000 streamings no México, ele receberá um dólar de cada US$ 1.000 pago do fundo de royalties mexicano. O valor total do fundo de royalties de cada país é baseado na receita obtida com assinaturas e anúncios em cada mercado.

  • Um modelo centrado no usuário não seria mais justo?

    Até o momento, estamos considerando uma pesquisa que sugere que a adoção do modelo de pagamentos centrado no usuário não beneficiaria os artistas como muitos acreditavam. Um estudo do National Music Centre (CNM) demonstrou que a mudança resultaria em “no máximo alguns euros por ano em média” para artistas fora do top 10 mil. Confira essa pesquisa aqui e um bom resumo dela aqui

    Estamos dispostos a mudar para o modelo centrado no usuário se essa for a vontade dos artistas, compositores e detentores de direitos. No entanto, o Spotify não pode tomar essa decisão sozinho. É preciso que se chegue a um consenso na indústria.

  • Tenho lido sobre artistas e compositores que estão vendendo seus catálogos para empresas de investimento. Por que isso está acontecendo?

    O valor dos catálogos de músicas nunca foi tão alto como é hoje. Devido ao streaming, a música agora tem um enorme potencial de gerar lucros além do lançamento ou venda inicial. Isso significa a geração de boas receitas anuais até mesmo para artistas e compositores que estão há uma ou duas décadas sem lançar material novo e ainda têm uma grande base de fãs. Por exemplo, destacamos neste site os artistas consagrados: aqueles com uma média de mais de 500 mil ouvintes mensais e que geram 80% dos próprios streamings com músicas lançadas há mais de cinco anos. Em média, esse grupo gerou US$ 473 mil no Spotify só em 2021 (e provavelmente bem mais do que US$ 1 milhão com todos os serviços de streaming). 

    Os valores cada vez maiores dos catálogos de artistas e compositores são outro sinal importante de otimismo para o futuro do mercado da música. 

  • Como o Spotify calcula os pagamentos neste site? Por que não focar no valor que os artistas recebem de fato?

    Adoraríamos informar quanto dinheiro cada artista e compositor recebe pelo seu desempenho no Spotify, mas não temos acesso aos acordos que eles firmaram com seus detentores de direitos. Só podemos revelar os dados disponíveis para nós, ou seja, a quantia que o Spotify pagou. 

    Por isso, os dados neste site refletem os royalties de gravação e composição que o Spotify paga aos detentores de direitos. Relatamos quanto pagamos aos detentores de direitos de cada artista no Spotify pelo catálogo completo deles em cada ano.

    O Spotify não paga os artistas diretamente, e sim os detentores de direitos que eles escolhem, seja uma gravadora grande ou independente, um agregador, uma distribuidora, etc. A grande maioria das músicas mais tocadas no Spotify é distribuída por um dos cinco principais detentores de direitos, e várias distribuidoras e agregadores oferecem serviços à comunidade de artistas independentes em todas as plataformas de streaming. Assista ao vídeo “Como o dinheiro flui” para saber mais.

  • Qual foi a metodologia usada no infográfico sobre as receitas de produtores, compositores e organizações de gestão coletiva de direitos autorais (CMOs, na sigla em inglês)?

    O economista Will Page usou os dados públicos do Global Music Report 2020 da IFPI para analisar os detalhes dos pagamentos feitos a compositores, produtores e CMOs pelas receitas geradas com consumidores que compram CDs e downloads, ouvem anúncios ou assinam serviços de streaming. A metodologia incluiu fatores como diferenças regionais no licenciamento e tendências nos termos de negociação entre os detentores e usuários dos direitos.

  • Como faço para aumentar meu público e ter sucesso no Spotify?

    Queremos que o Spotify seja o melhor lugar para que artistas e equipes aumentem a base de fãs em qualquer fase das suas carreiras. Por isso, estamos criando novas ferramentas para os mais de 1 milhão de artistas que usam o Spotify for Artists todos os meses. Se quiser conhecer os recursos do Spotify para Artistas, clique aqui. Não deixe de conferir estes e muitos outros recursos para conquistar novos fãs: Escolha do artista, Canvas, cartões promocionais, Marquee, apresentação para playlist, páginas de compositores, Made to Be Found, Noteable e Fan Study.

    Se estiver em busca de dicas, dê uma olhada nas práticas recomendadas para divulgação e engajamento e no guia sobre como se preparar para seu lançamento.

  • O Spotify está investindo milhões em podcasts. Por que esse dinheiro não está sendo direcionado para a indústria da música?

    Nossos investimentos em podcasts exclusivos e originais trouxeram milhões de novos ouvintes que também consomem música no Spotify, aumentando o fundo de royalties para os músicos. O valor de todas as assinaturas pagas vai para esse fundo, já que os podcasters geralmente ganham dinheiro vendendo anúncios nos próprios programas. 

    Além disso, acreditamos que o formato de música com bate-papo traz bons resultados para músicos e podcasters, já que ele foi utilizado por anos e anos nas rádios AM/FM. Estamos experimentando novas maneiras de mesclar conversas e músicas que gerem royalties, abrindo novas possibilidades para os ouvintes interagirem com as faixas que eles descobrem nos podcasts. Alguns exemplos são playlists como a “Caminho Diário”, que cria uma experiência personalizada para ouvir no trânsito, e formatos como o Música + Papo, que permite aos criadores intercalarem seus segmentos de fala com músicas no Spotify. Temos também o Greenroom, um app de bate-papo por áudio para que os ouvintes organizem e participem de debates ao vivo com artistas e fãs.

  • Quanto dinheiro fica para o Spotify?

    A cota do Spotify é de aproximadamente um terço da receita gerada com assinaturas pagas e anúncios do serviço grátis. 

    Isso não é novidade. Revendedores sempre cobraram uma comissão pelos seus serviços, que costumava ser ainda maior. Por exemplo, perto do auge da era do CD, a loja ficava com 35% a 40% do valor de cada CD ou cassete vendido.

    Nós priorizamos o crescimento em vez do lucro e, por isso, investimos nossa cota na criação de ferramentas e serviços para artistas. Assim, mantemos um produto de qualidade para os ouvintes e atraímos mais usuários para aumentar a receita. Os investimentos incluem desde armazenamento em nuvem e taxas de cartão de crédito até atualizações de produtos, novas tecnologias e elaboração de playlists. Com esse dinheiro, também desenvolvemos novas maneiras para os fãs interagirem com sua música e criamos ferramentas e recursos para orientar você durante o processo.

  • Como posso contextualizar os números de streaming no meu mercado de origem?

    A seção Números de streaming contextualizados deste site mostra valores globais para simplificar as informações. Mas, se você quiser ter uma boa ideia da contagem de streamings da sua localidade, confira as Paradas do Spotify locais. Você verá que a quantidade de streamings necessária para entrar nas paradas pode variar bastante em diferentes territórios mundialmente. Por exemplo, na Malásia e na Bulgária, esse número pode ser bem diferente em comparação com a Austrália e o México. Além disso, no Spotify for Artists, os artistas podem ver os dados de localização geográfica dos ouvintes deles (por cidade e país) na guia “Público” dos painéis.

  • Como vocês chegaram à conclusão de que a era do CD favoreceu as grandes estrelas duas vezes mais do que a era do streaming atual?

    Os dados da RIAA (Associação Americana da Indústria de Gravação) sobre discos de ouro e de platina incluem as datas em que os álbuns são certificados pela venda das primeiras 500 mil cópias nos EUA, além das certificações seguintes pela venda de 1 milhão de cópias. Usando os períodos entre essas certificações, fizemos uma estimativa de quantas cópias de cada álbum foram vendidas em um determinado ano nos EUA. Agregamos esses valores de acordo com o nível do artista e os comparamos com o número total de álbuns vendidos em cada ano com base no US Sales Database da RIAA. Fizemos o cálculo considerando o auge da era do CD (1994 a 2002) e chegamos à conclusão de que os 50 principais artistas corresponderam, em média, a 24,9% de todas as vendas de álbuns nos EUA por ano. Comparamos esse valor com a porcentagem de streamings no Spotify nos EUA dos 50 principais artistas de 2021, já que o que determina os pagamentos de royalties é essa cota por streamings.

  • Como a inflação é considerada neste site?

    Sempre que mencionamos a inflação neste site, consideramos a taxa global de 2% ao ano para simplificar. Esse valor é consistente com as orientações da Reserva Federal dos EUA e do Banco da Inglaterra. Quando relevante, também fazemos uma comparação com números específicos dos EUA usando a CPI Calculator.

O que mais você gostaria de saber?

Queremos entender quais são suas maiores dúvidas e que outras informações seriam úteis pra você. Vamos atualizar o site com base no feedback do público, então pode deixar seu comentário! 

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

    Enviado!

    Os artistas merecem entender com clareza a economia do streaming de música. No ano passado, lançamos este site para aumentar a transparência, compartilhando dados novos sobre o pagamento de royalties do Spotify e explicando a economia global do streaming, os atores e os processos. Os dados mostram que a indústria da música está em um momento de alta, e ainda mais artistas estão alcançando o sucesso. Mas ainda temos um longo caminho pela frente, e vamos continuar trabalhando pra expandir o setor cada vez mais.

    Vamos lá